Login Senha:   Lembrar senha
LOGO STEVÃO ODONTOLOGIA
  HOME
  INFORMAÇÕES GERAIS
  CASOS OPERADOS
  CURRICULUM VITAE
  CERTIFICADOS E DIPLOMAS
  CURSOS, EVENTOS E VIAGENS
  VER O CONSULTÓRIO
  LOCALIZAÇÃO
  FALE CONOSCO
  LINKS
   CIRURGIA BUCAL

1. CIRURGIA DENTOALVEOLAR

    A cirurgia dentoalveolar é o tratamento cirúrgico das doenças dos dentes e dos tecidos de suporte, duros e moles da região bucal. Um dente que não irrompe na boca é, por definição, considerado, impactado ou incluso. Embora esse seja um problema comum associados aos terceiros molares (sisos), uma vez que são os últimos a irromperem, outros dentes também podem ficar impactados. Outros tipos de cirurgia dentoalveolar podem ser: apicetomia, remoção cirúrgica de cistos de origem dentária ou não, cirurgia para tracionamento de dente impactado, cirurgia para remoção de dente incluso, remoção cirúrgica de dente extranumerário, cirurgia para enxerto ósseo com vistas à colocação de implante dentário, entre outras.

    Os sintomas típicos associados com um dente impactado são: dor, inchaço e sinais de infecção nos tecidos vizinhos ao dente. Devido ao fato de que um dente impactado tem o potencial para causar um dano permanente aos dentes vizinhos, à gengiva e à estrutura óssea de suporte. Os dentes impactados também estão associados com o desenvolvimento de cistos e tumores que podem destruir amplas porções dos maxilares. Muitas vezes os dentes impactados não são tratados até que os sintomas estejam presentes, mas um estudo recente, conduzido pela Associação Norte-Americana dos Cirurgiões Bucomaxilofaciais e pela Fundação Norte-Americana de Cirurgia Bucomaxilofacial, indica que os terceiros molares devem ser removidos quando paciente é jovem, a fim de prevenir problemas ósseos, gengivais e outros.

    Os Cirurgiões Bucomaxilofaciais tem um treinamento extenso para o diagnóstico e tratamento dos dentes impactados, extrações dentárias e cirurgia dentoalveolar, a tal ponto que até mesmo o Dr. Éber Stevão criou uma técnica nova para remoção de dentes inclusos. Veja os artigos publicados por ele no seu curriculum vitae.

2. DENTES SISOS

    O siso, também chamado tecnicamente de terceiro molar, é o último dente a eruptar na boca, e isso geralmente ocorre entre os 17 e 25 anos de idade, uma idade que tem sido chamada de “Idade do Juízo”. Por isso, esse dente é vulgarmente chamado de “dente do juízo”.

    Os antropologistas afirmam que a dieta alimentar rústica, basicamente de grãos, dos primórdios da raça humana, resultava em um desgaste excessivo dos seus dentes. A movimentação normal dos dentes para compensar esse desgaste compensava o espaço necessário para que o dente siso erupcionasse por volta da adolescência. A dieta moderna, basicamente macia, e a populariedade da ortodontia, produziram um arco dentário mais completo sem perdas dentárias, não existindo espaço para a erupção do terceiro molar. Isso faz com que surjam problemas quando todos os quatro terceiros molares tentam erupcionar na boca.

3. O QUE É UM DENTE IMPACTADO AFINAL ?

    Um dente se torna impactado quando existe uma falta de espaço no arco dentário e a sua erupção é impedida pela gengiva que o recobre, pelo osso ou outro dente. Um dente pode estar parcialmente impactado, ou seja, uma porção dele aparece sob a gengiva, ou ainda totalmente impactado, ficando inteiramente debaixo da gengiva, conforme mostram as figuras 1, 2 e 3.



Figura 1. Infecção é uma complicação que pode surgir de um dente parcialmente impactado.



Figura 2. Apinhamento ou cárie são outras complicações que podem surgir de um dente parcialmente impactado.



Figura 3. Cisto dentário é uma complicação que pode surgir de um dente totalmente impactado.

4. É MUITO SÉRIO TER UM DENTE IMPACTADO ?

    Dentes parcial ou totalmente impactados podem ser muito dolorosos e levar a infecção, conforme mostrado na figura 1. Eles também podem apinhar ou causar danos aos dentes e raízes de dentes vizinhos, originando impacção alimentar na área e cárie, conforme mostrado na figura 2.

    Outros problemas mais sérios podem ocorrer caso a membrana que circunda um dente impactado torna-se preenchida por fluido e se alargue formando um cisto. Devido ao fato do cisto crescer, a mandíbula ou maxila torna-se mais fina, podendo causar danos aos dentes adjacentes e nervos próximos, conforme mostrado no figura 3. Fratura do osso mandibular pode ocorrer devido à diminuição da sua espessura, pela perda óssea para o cisto. Raramente, se o cisto não for tratado, um tumor poderá se desenvolver a partir das suas paredes e um procedimento cirúrgico mais extenso será necessário para removê-lo.

    Apesar das consideráveis preocupações a respeito dos terceiros molares impactados, uma pesquisa recente patrocinada pela Associação Norte-Americana dos Cirurgiões Bucomaxilofaciais e pela Fundação Norte-Americana de Cirurgia Bucomaxilofacial, descobriu que terceiros molares que parcialmente irromperam atravessando a gengiva, apesar de estarem numa posição normal, podem ser suscetíveis a doenças tanto quanto aqueles que permanecem impactados.

5. O DENTE PODE ERUPCIONAR SE AINDA NÃO CAUSOU NENHUM PROBLEMA ?

    Nem todos os problemas relacionados com os terceiros molares são visíveis ou causam dor. Um dano pode ocorrer sem que você esteja ciente disso.

    Com o crescimento dos dentes sisos, as suas raízes tornam-se maiores, os dentes tornam-se mais difíceis de serem removidos e as complicações mais prováveis. Além disso, é mais presumível que os sisos, total ou parcialmente impactados, causem problemas com o envelhecimento do paciente. Um paciente na fase adulta ou um idoso muito provavelmente terá problemas mais sérios com um siso impactado ou semi-impactado do que um adolescente.

    Ninguém pode prever quando uma complicação de um terceiro molar pode acontecer, mas quando ela surje, as circunstâncias podem ser muito mais dolorosas e o dente mais difícil de ser tratado. É estimado que 85% dos terceiros molares, eventualmente, devem ser removidos.

6. QUANDO EU DEVO REMOVER OS MEUS SISOS ?

    Não é uma decisão sábia esperar até que o seu dente do siso comece a lhe incomodar. Em geral, a remoção mais precoce resulta num processo de cicatrização menos complicado. Pesquisadores nessa área descobriram que pacientes mais adultos estão mais propensos às doenças decorrentes desses dentes, incluindo periodontite (doença da gengiva). As infecções periodontais, tais como aquelas observadas no estudo citado acima, podem afetar o estado de saúde geral, causando febre, desidratação, prostração e mal estar geral.

    Os sisos são mais fáceis de serem removidos quando o paciente é mais jovem, uma vez que as suas raízes não estão totalmente formadas, o tecido ao redor do dente é mais macio e existe menor chance de causar danos aos nervos presentes na área. A remoção dos sisos numa idade mais adulta torna-se mais complexa, principalmente porque as raízes tornaram-se maiores e muitas vezes envolvem o nervo grande da mandíbula, e o osso ao redor está bem compacto e mais calcificado.


Figura 4. Sisos em um paciente com 12 anos de idade.

Figura 5. Sisos em um paciente com 14 anos de idade.

Figura 6. Sisos em um paciente com 17 anos de idade.

Figura 7. Sisos em um paciente com 25 anos de idade.

7. O QUE ACONTECE DURANTE A CIRURGIA DE UM DENTE INCLUSO ?

    Antes da cirurgia, o Dr. Éber Stevão irá discutir com você o que deve ser esperado. Esse é um bom momento para fazer perguntas ou expressar as suas preocupações. É muito importante dizer para ele se você tem alguma doença, qualquer que seja, e avisar se está tomando qualquer tipo de medicamento. Esconder uma informação importante nesse momento pode ser muito custoso para você.

    A relativa facilidade com que um dente siso é removido vai depender de várias condições, incluindo a posição do dente e o tamanho das suas raízes. Um siso parcial ou totalmente impactado exigirá um procedimeno cirúrgico mais delicado e preciso.

    A maioria das extrações dos sisos é executada no consultório com anestesia local e sedação via oral, mas caso você prefira, o Dr. Éber Stevão tem hospitais preparados para que essa cirurgia seja realizada sob sedação intravenosa ou até mesmo com anestesia geral. Você poderá discutir com ele as opções anestésicas que se adaptem melhor a você.

8. O QUE ACONTECE DEPOIS DA CIRURGIA DE UM DENTE INCLUSO ?

    Logo após a cirurgia, você poderá ter algum inchaço na face no lado operado e um disconforto, que fazem parte do processo normal de cicatrização. Compressas com gelo ajudam a diminuir o inchaço e outras medicações serão prescritas pelo Dr. Éber Stevão. Você também receberá instruções para alterar a sua dieta nos dias que seguem à cirurgia.

    A cirurgia da boca, tais como a remoção de dentes inclusos (sisos), colocação de implantes dentários de titânio, biópsias e outros procedimentos similares a esses, impõe um aumento dos nutrientes na dieta. Geralmente, após a remoção de dentes inclusos, uma dieta mais branda e a suspensão das atividades físicas (exercícios) são recomendadas pelo período de uma semana. Fica suspensa também a ingesta de refrigerantes carbonados, beber qualquer coisa através de canudos plásticos (canudinhos), os bochechos vigorosos com enxaguatórios bucais, pois podem perturbar a ferida cirúrgica.

    Questões acerca de quando voltar às atividades físicas esportivas, devem ser direcionadas diretamente ao Dr. Éber Stevão. Após uma cirurgia, não tome nenhuma atitude duvidosa, sem antes consulta-lo!

INFORMAÇÕES GERAIS 

 "Que todo o meu ser louve o Senhor, e que eu não esqueça nenhuma de suas bênçãos".  Salmo 103:2
 Endereço/Office Address: Rua Ângelo Sampaio, 620 Batel - Curitiba - PR. CEP 80250-120
Telefone cons./ Office Phone: (041) 30233393
celular: (041) 9263-3393
Webdesigner: Eliel Stevão